Home Elétrica Instalações Projeto instalação elétrica residencial – Parte 2
Projeto instalação elétrica residencial – Parte 2

Projeto instalação elétrica residencial – Parte 2

6.81K
22

Neste artigo iremos iniciar o conceito de dimensionamento de iluminação e Tomadas de uso geral, as famosas TUG’s para instalação elétrica residencial. Antes de iniciarmos se faz necessário conhecimento nos conceitos de cálculo de área e perímetro, você pode relembrar clicando AQUI. Como sabemos a NBR5410 define as características mínimas para um dimensionamento tecnicamente funcional e seguro, basearemos nosso dimensionamento de instalação elétrica residencial nesta norma.

Antes de iniciarmos tenha em mãos sua calculadora, lápis e borracha para praticar os conceitos abordados neste artigo.

Porque calcular área e perímetro?

O primeiro passo para o dimensionamento de uma instalação elétrica residencial é determinar as cargas elétricas que existirá na instalação a ser dimensionada. A previsão da potência de iluminação e tomadas de uso geral será determinada através do cálculo da área e perímetro respectivamente e é com base nestes cálculos que teremos o levantamento de potência para a determinação de demanda total instalada.

Exemplo de Planta Baixa

Para nosso projeto utilizaremos como exemplo a planta baixa de uma residência de quatro cômodos + banheiro. Veja a ilustração abaixo.

elétrica residencial

Dimensionamento da Iluminação elétrica residencial

elétrica residencial

Por definição a NBR 5410:2004 determina que a potência de iluminação em cada cômodo irá levar em consideração a área do cômodo como fator principal para este dimensionamento.Logo abaixo você poderá ler exatamente como a NBR5410 se posiciona em relação a este dimensionamento:

Na NBR 5410 sobre Iluminação:

9.5.2.1.1
Em cada cômodo ou dependência deve ser previsto pelo menos um ponto de luz fixo no teto, comandado por interruptor.  
9.5.1.2
b) em cômodo ou dependências com área superior a 6 m², deve ser prevista uma carga mínima de 100 VA para os primeiros 6 m², acrescida de 60 VA para cada aumento de 4 m² inteiros.

 

Dimensionamento de Tomadas de Uso Geral

elétrica residencial

No dimensionamento de tomadas de uso geral em uma instalação elétrica residencial é utilizado as dimensões de perímetros do cômodo para a composição de quantidades mínimas de tomadas. O fato é que para este dimensionamento, cada tipo de ambiente é tratado de maneira distinta de maneira a adequar a residência de acordo com sua necessidade, por exemplo, as áreas molhadas (cozinha, área de serviço, etc) necessitam de pontos de tomadas com maior potência.

Na NBR 5410 sobre tomadas:

[show_hide title=”Clique Aqui”]

9.5.2.2 Pontos de tomada

9.5.2.2.1 Número de pontos de tomada
O número de pontos de tomada deve ser determinado em função da destinação do local e dos
equipamentos elétricos que podem ser aí utilizados, observando-se no mínimo os seguintes
critérios:

a) em banheiros, deve ser previsto pelo menos um ponto de tomada, próximo ao lavatório,
atendidas as restrições de 9.1;

b) em cozinhas, copas, copas-cozinhas, áreas de serviço, cozinha-área de serviço,
lavanderias e locais análogos, deve ser previsto no mínimo um ponto de tomada para
cada 3,5 m, ou fração, de perímetro, sendo que acima da bancada da pia devem ser previstas
no mínimo duas tomadas de corrente, no mesmo ponto ou em pontos distintos;

c) em varandas, deve ser previsto pelo menos um ponto de tomada;

NOTA Admite-se que o ponto de tomada não seja instalado na própria varanda, mas próximo ao
seu acesso, quando a varanda, por razões construtivas, não comportar o ponto de tomada,
quando sua área for inferior a 2 m2 ou, ainda, quando sua profundidade for inferior a
0,80 m.

d) em salas e dormitórios devem ser previstos pelo menos um ponto de tomada para cada 5 m,
ou fração, de perímetro, devendo esses pontos ser espaçados tão uniformemente quanto
possível;

NOTA Particularmente no caso de salas de estar, deve-se atentar para a possibilidade de
que um ponto de tomada venha a ser usado para alimentação de mais de um equipamento, sendo
recomendável equipá-lo, portanto, com a quantidade de tomadas julgada adequada.

e) em cada um dos demais cômodos e dependências de habitação devem ser previstos pelo
menos:

 - um ponto de tomada, se a área do cômodo ou dependência for igual ou inferior a 2,25 m2.
Admite-se que esse ponto seja posicionado externamente ao cômodo ou dependência, a até
0,80 m no máximo de sua porta de acesso;

 - um ponto de tomada, se a área do cômodo ou dependência for superior a 2,25 m2 e igual
ou inferior a 6 m2 ;

 - um ponto de tomada para cada 5 m, ou fração, de perímetro, se a área do cômodo ou
dependência for superior a 6 m2, devendo esses pontos ser espaçados tão uniformemente
quanto possível.

9.5.2.2.2 Potências atribuíveis aos pontos de tomada

A potência a ser atribuída a cada ponto de tomada é função dos equipamentos que ele poderá
vir a alimentar e não deve ser inferior aos seguintes valores mínimos:

a) em banheiros, cozinhas, copas, copas-cozinhas, áreas de serviço, lavanderias e locais 
análogos, no mínimo 600 VA por ponto de tomada, até três pontos, e 100 VA por ponto para
os excedentes, considerando-se cada um desses ambientes separadamente. Quando o total de
tomadas no conjunto desses ambientes for superior a seis pontos, admite-se que o critério
de atribuição de potências seja de no mínimo 600 VA por ponto de tomada, até dois pontos,
e 100 VA por ponto para os excedentes, sempre considerando cada um dos ambientes
separadamente;

b) nos demais cômodos ou dependências, no mínimo 100 VA por ponto de tomada.

[/show_hide]

Dimensionamento de área e perímetro

Conforme vimos no post anterior (acesse aqui) veja abaixo o levantamento de área e perímetro para o projeto de instalação elétrica residencial

elétrica residencial

DIMENSIONAMENTO DE POTÊNCIA DE ILUMINAÇÃO E TOMADAS

Acesse nosso terceiro artigo da série “Dimensionamento de Instalações Elétricas Residenciais” e entenda ainda mais como deve ser conduzido o projeto elétrico de uma residência, ACEESE O TERCEIRO ARTIGO AQUI.

(6811)

Eng ° Everton Moraes Fundador da Sala da Elétrica. É um engenheiro eletricista que dedica boa parte de seu tempo à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade para multiplicar seu conhecimento com os amantes da Eletroeletrônica. "Acredito firmemente que é ensinando que se aprende"

Comment(22)

  1. adorei o conteúdo, estou terminando o curso de elétrica predial pelo SENAI e suas informações me ajudaram muito.
    obrigado!

  2. Boa noite!
    Everton, parabens pelo teu site de eletrica, acompanho a bastante tempo.
    Gostaria que vc , me tirasse uma dúvida.
    na minha residencia possuo um chuveiro de 5500 watts, fiação antiga de 4mm, disjuntor
    tipo nema 30 A , tensão de entrada 220 volts..( 5500 / 220 = corrente 25 Amperes)
    De acordo com os artigos que costumo ler, descreve que uma fiação de 4mm, suporta uma corrente de ate´28 A.não entendo porque o disjuntor de 30 A, a informação que possuo é que o disjuntor deve proteger a fiação, portanto deve ter um valor inferior a corrente da fiação.

    recentemente estive para trocar, este chuveiro , procurando no mercado, encontrei uma ducha com as sequintes caracteristicas tecnicas, especificada pelo fabricante no manual. Tensão nominal 220 v, potencia 6800 w, fiação 4mm , disjuntor 30 A.

    Em teoria, ( 6800/220 = 30,90 de corrente A.) resolvi não correr o risco e optei por uma ducha de 5700 w de um outro fabricante, 5700/220 = 25,9 amperes.fiquei mais tranquilo ) ,
    mas não entendo o fabricante da ducha de 6800watts.

    se possivel um comentario seu.
    agradeço , att Nelson !!!!!!

  3. Everton, obrigado por tudo ,gostaria que soubesse que ti considero amigo ,mesmo sem ter apertador a sua mão.

    Forte abraço.

    att Luis Carlos.

  4. Eng.º Everton,
    Tenho apreciado seus artigos. Sou um instalador iniciante e mesmo antes de ver seus conceitos, vinha procurando apresentar aos clientes não apenas “um preço”, mas projetos com o máximo de detalhamento. Embora eu use o Excel para os cálculos, faço o desenho da instalação usando um software free para fazer uma planta baixa. Daí, salvo em PDF, transformo em bmp e então faço o resto usando o paint. Num outro tutorial seu, vi um desenho que você desenvolveu com um software. Tentei usá-lo mas não consegui (comecei por tentar fazer uma planta baixa). Poderia orientar-me sobre como posso faze-lo? Obrigado.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *