Como conectar o IHM no CLP?

Como foi dito anteriormente, as Entradas do CLP é o meio pelo qual o CLP “enxerga” e recebe o mundo exterior, seja através de sensores, seja através de botões ou de IHM.

Botões e IHM são ações provenientes de seres humanos, ou seja, operadores, que irão tomar a decisão de acionar ou não.

A diferença é que no IHM, são centenas de opções de PARAMETRIZAÇÃO, ou seja, não apenas as ações, mas o modo como essas ações serão recebidas podem ser manipuladas.

IHM e o CLP

Observe que podemos substituir a diversidade de botões por uma simples tela de IHM.

Onde além dos comandos, é possível parametrizar grandezas como posição, pressão, temperatura, tempo.

E ainda ter diagnósticos como tempo de máquina parada, monitoramento, quantidade de peças produzidas e assim por diante.

IHM substituindo os botões do painel

Leia também: Funcionamento do CLP: O que são Entradas e Saídas?

COMO CONECTAR O CLP NO IHM?

Para conectar os dois devices, é necessário uma porta de comunicação entre ambos.

Ela pode ocorrer das seguintes formas:

conectar o IHM no CLP

Através de uma das comunicações mostradas na página anterior, temos a transferência de dados entre o CLP e o IHM.

É importante salientar que o CLP vai enviar e receber dados do IHM, para manipular variáveis, alterar tempos, entradas, contagens, etc.

Baixe seu e-book gratuito do GUIA DEFINITIVO PARA ENTENDER O CLP

Com um único cabo, e através do gerenciamento do servidor, é possível que o CLP encontre o IHM e vice-versa, assim como qualquer outro dispositivo inserido na rede.

Isso ajuda ao processo de rapidez na análise de dados, pois é possível fazer a alteração em ambos os softwares tendo apenas eles conectados à rede de internet / intranet.

Mesmo que o CLP e o IHM estejam separados por quilômetros, é possível que ambos possam interagir instantaneamente.

Baixe seu e-book gratuito do GUIA DEFINITIVO PARA ENTENDER O CLP

Gostou? Comenta aqui…

Victor Vitoriano

Sou formado no SENAI em Eletricista de Manutenção e Engenheiro Eletricista pela Universidade São Judas Tadeu. Participei da São Paulo Skills (Olimpíadas do Conhecimento) pelo SENAI Manoel Garcia Filho e na sequência iniciei os estudos em Engenharia Elétrica.

Passei por empresas na área de Manutenção Elétrica Industrial em Prensas e Injetoras de borracha, compressores e caldeiras.

Trabalhei também em centros de reparo especializados, gerindo processos de reparo nas empresas ASUS e SONY, participou de processos de gestão de ativos, na parte de Transformadores, Torres de Extra alta tensão, disjuntores e relés de proteção na empresa ISA CTEEP.

Adoro a Eletricidade, pois ela possibilitou uma nova era de revolução no mundo; Ter a oportunidade de passar esse conhecimento para alunos, é algo inexprimível.

Deixe o seu comentário

vinte − 12 =

Receba mais conteúdos