Home Elétrica Comandos Partidas Eletrônicas Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência
Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência

Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência

0
5

Sempre ficamos na dúvida sobre qual dispositivo usar em determinada situação. Qual é mais barato, mais fácil de usar?

Qual terá a função necessária para a minha aplicação? Quando posso usar um ou outro?

Enfim, são várias perguntas, dúvidas, e esse artigo irá te ajudar a determinar, da melhor forma, entre o soft starter e inversor de frequência.

Soft starter

Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência

O soft starter é um dispositivo eletrônico composto por pontes de tiristores (SCR’s) acionadas por um circuito eletrônico, com a finalidade de controlar a tensão de partida do motor, bem como sua desernegização. Fazendo assim, com que a energização e desenergização do motor sejam suavizadas. O soft starter pode substituir os tradicionais modos de ligação estrela-triangulo, chave compensadora e partida direta.

Com o soft starter é possível também limitar a corrente de partida, evitando assim, picos de corrente. Além de possibilitar a partida e parada suave, e também promover a proteção do sistema.

COEL 300×250

O soft-starter funciona segundo a redução da tensão de partida, através de deslocamento do ângulo de disparo de uma ponte tiristorizada. Sua função é, apenas e tão somente, controlar o motor no instante da partida. Após isto, a rede elétrica é conectada diretamente ao motor. Todo o processo acontece em 60 Hz.

O soft starter não controla a velocidade, mas permite controlar vários motores através da função Bypass. Esta função tem como finalidade apenas auxiliar na partida do motor, quando o motor chagar na tensão nominal o soft starter deixa de atuar ficando assim livre para auxiliar na partida dos demais motores.

Com soft starter é possível conseguir grandes feitos como por exemplo baixo gasto de energia, proteção contra choques elétricos, e proteção dos componentes.

Para conhecer mais o Soft Starter, fizemos um artigo com 8 passos para você entender melhor o que é Soft Starter

Para baixar o E-book Soft Starter, clique aqui.

Inversor de frequência

Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência

No inversor de frequência, por outro lado, a rede é retificada, filtrada, e aplicada a uma ponte de IGBTs. Esses são chaveados em frequência de até 16 kHz. Na entrada temos a frequência constante com tensão alternada, e na saída a frequência pode ser variável.

O inversor de frequência controla apenas um motor por vez. No entanto este equipamento controla não somente a partida de motor, mas é capaz de variar sua velocidade de forma que o torque permaneça constante, através do que chamamos curva V/f.

Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência

Comumente usados em motores de indução trifásicos, para assim substituir os sistemas de variação de velocidade mecânicos, tais como polias.

O inversor de frequência controla não só a partida, mas também a frenagem, frequência máxima e mínima, monitora a corrente elétrica, além de proteger o motor através da determinação da corrente nominal. Usado também para proteção contra falta de fase e sobrecarga. No entanto, só é possível controlar um motor por vez.

Para baixar o E-Book Inversor de Frequência, clique aqui.

Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência

Tanto o princípio de funcionamento quanto a função são diferentes.

Soft starter Inversor de frequência
Ø  Composto por tiristores (SCR’s) Ø  Composto por IGBT’s
Ø  Substitui partidas como estrela triangulo, chave compensadora e partida direta Ø  Substitui o soft starter
Ø  Usado para suavizar a partida dos motores. (Controle somente no momento da parida do motor) Ø  Usado para controlar a partida, aceleração, frenagem, velocidade, monitorar a corrente elétrica
Ø  Proteção do sistema e contra choques elétricos Ø  Proteção contra falta de fase e sobrecarga
Ø  Possibilita controlar a partida de mais de um motor Ø  Possibilita controlar a partida de apenas um motor

Concluindo, um inversor de frequência pode substituir sempre um soft-starter, mas, o contrário não é possível.

Conclusão

O que determina qual componente será usado é basicamente o tipo de função necessária e a função que o componente oferece.

Basicamente, quando o objetivo é o simples acionamento do motor, usamos o soft starter. Quando o objetivo for além da partida, conseguir controlar as ações da ponta do eixo do motor e/ou automatizar o processo deve-se utilizar o inversor de frequência.

Saber como e quando utilizar este tipo de componente é bastante importante, assim como sempre se atentar para aplicar os conhecimentos da forma mais segura possível, evitando assim, possíveis acidentes elétricos.

Gostou do artigo e do nosso vídeo?

Deixe um comentário abaixo e compartilhe.

Qual a diferença entre Soft starter e Inversor de frequência
4.8 (95%) 12 votes

Engª Camila Andrade Engenheira de 29 anos. Formada em Engenharia Elétrica pelo Centro Universitário da FEI. Atualmente na área de redação e suporte técnico da Sala da Elétrica. Atuou em: Área de Engenharia de processos na WEG, pós vendas e suporte técnico, redação de manuais de bordo automotivo, manual de reparos automotivos e também desenvolvimento de esquemas elétricos automotivos.

Comment(5)

  1. Olá Nelson, pelo que eu verifiquei na época, o pico nas partidas dos motores eram altos mas o tempo em funcionamento eram curtos (menos de 3 segundos) a demanda alta se dava por quantidade de equipamentos ligados no periodo de 15 minutos, um controlador de demanda é a melhor forma de se controlar a a demanda contratada, verifiquei que muitas vezes eu tinha demanda alta mas o consumo era baixo, para saber se estamos consumindo kw/h em relação a demanda em kw e só verificar o fator de carga da instalação.
    Abraços

  2. Olá pessoal da SaladaEletrica, vou contar a experiencia que tive com Soft Start, de inicio não foi nada bem, quando o Soft Start começou a ser comercializado com mais frequencia no Brasil eu vendi o que um vendedor de uma empresa especializada na área de equipamentos de energia elétrica me falou,esse equipamento economiza energia, como eu trabalho com sistemas de Refrigeração comercial na área de Supermercado eu vi uma grande vantagem para os Compressores de Refrigeração que tem um peso grande na conta de energia, pois bem, convenci um diretor de um Supermercado a colocar nos equipamentos de Refrigeração, eu iria colocar somente 02 em cada equipamento um de congelado e o outro de resfriado, mas o diretor ficou tão euforico que mandou colocar um para cada compressor que no fim foi comprado 6 Soft Start, fizemos os cálculos e a empresa que nos vendeu o aparelho falou que iria se pagar em aproximadamente um ano e meio, enfim nos primeiros meses não houve redução nenhuma, isso me fez me aprofundar mais na área de energia, fui atrás para entender como e o processo de cobrança de energia pelas concessionarias, vim a saber que picos de energia não aumenta a conta de energia assim a ponto de investir tanto pois a demanda em KW e feita em periodos de 15 minutos e não pela partidas do equipamentos, como 1 hora tem 4 segmentos de 15 minutos a demanda será a maior de um desses intervalo de 15 minutos, o bom do Soft Start é que ele aumenta a vida útil do motor pois não tem aquela partida seca que pode danificar as peças mecânicas, e faz também que não haja aquele queda de tensão (afundamento) na instalação no momento das partidas dos compressores, partir dai que aprendi a não confiar tanto em palavras de vendedor, agora tudo que vou instalar que não seja de meu conhecimento estudo antes.

    1. Olá Mauro, tudo bem?
      Realmente é sempre importante conhecermos um pouco das coisas antes de adquirir.
      Obrigada por dividir sua experiência conosco.
      Continue nos acompanhando para ver nossos conteúdos semanais.

      Att, Engª Camila Andrade
      Equipe Sala da Elétrica.

    2. Olá Mauro!
      Complementando sua experiência! A conta de energia dividi-se basicamente em Consumo (kWH, MWh, etc.) e Demanda (kW, MW, etc.) então haverá redução de despesa se for possível reduzir a demanda contratada ou se evitarmos que esta seja ultrapassada (um único evento mensal já conta e é bem caro). Se no cálculo da demanda original foi previsto o pico necessário à partida dos motores e se com a colocação da Soft Starter for possível reduzí-la, aí sim haverá economia, mesmo situação em que o seu uso prevenirmos ultrapassá-la, evitando as multas de ultrapassagem.
      Abraços,

      1. Olá Nelson, pelo que eu verifiquei na época, o pico nas partidas dos motores eram altos mas o tempo em funcionamento eram curtos (menos de 3 segundos) a demanda alta se dava por quantidade de equipamentos ligados no periodo de 15 minutos, um controlador de demanda é a melhor forma de se controlar a a demanda contratada, verifiquei que muitas vezes eu tinha demanda alta mas o consumo era baixo, para saber se estamos consumindo kw/h em relação a demanda em kw e só verificar o fator de carga da instalação.
        Abraços

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *